ead topo

Quando o bebê é colocado para mamar logo depois que nasce, o leite desce mais cedo e a ligação entre a mãe e o bebê fica mais forte. Também ajuda na saída da placenta, a mãe perde menos sangue e o útero volta mais rapidamente ao tamanho normal. Portanto, amamentar é bom para o bebê e também para a mãe.

A amamentação é um ato que precisa ser aprendido pela mãe e pelo bebê. Por isso é importante a mãe saber que pode precisar da ajuda dos profissionais de saúde para amamentar. Todo apoio para promover a amamentação é abençoado!

 
 
 
 

A mãe deve amamentar somente o seu bebê. Ela nunca deve dar seu bebê para que outra mãe amamente. Algumas doenças podem passar para o bebê pelo leite materno.

Nos primeiros dias, o bebê mama o colostro, que é um leite transparente-amarelado, mais grosso, rico em proteínas, vitaminas e sais minerais e contém defesas (anticorpos) contra certas doenças. Além de ser fonte de saúde, o colostro auxilia na eliminação das primeiras fezes do bebê. Essas fezes são chamadas de mecônio e são escuras e grudentas como piche de asfalto.

No primeiro e segundo dias após o parto é possível que o colostro demore a descer, mas isso varia de mulher para mulher. É importante falar para a mãe ter paciência e continuar colocando o bebê para mamar, para que ele possa estimular a saída do leite.

É normal que o bebê perca um pouco de peso logo após o nascimento. Isso, porque ele nasce inchado e perde água. Depois, mamando, seu peso vai aumentar.

Algumas mulheres, entre o segundo e quinto dia após o parto, sentem as mamas mais pesadas, um pouco doloridas e ligeiramente quentes. Isso é normal. O importante é a mãe continuar amamentando, com o bebê fazendo boa pega. Assim o desconforto passa e a amamentação segue bem.

Você está aqui: