ead topo


Quando nasce, a pele do bebê é lisa e coberta por uma camada de gordura que o protegia dentro do útero.

Alguns bebês têm pêlos fininhos e longos nas costas, orelhas e rosto. Em geral, dentro de uma semana eles desaparecem.

O bebê pode ter pontinhos no nariz, que se parecem com pequenas espinhas. Esses pontinhos nunca devem ser espremidos, pois podem inflamar. Dentro de um ou dois meses eles desaparecerão.

A cabeça do bebê é grande em relação ao corpo. Os ossos da cabeça ainda não estão colados, por isso o bebê tem a moleira.

Alguns bebês podem nascer com esses ossos uns sobre os outros. Isso é normal e ocorre para facilitar a passagem da cabeça do bebê no canal de parto. Não é necessário usar toucas para proteger a moleira. Ela vai se fechando conforme o bebê cresce.

No parto normal, o bebê pode nascer com certo inchaço no couro cabeludo. Isso acontece pela pressão que a cabeça do bebê faz para dilatar o colo do útero. Em alguns dias a cabecinha do bebê volta à sua forma normal.

O bebê pode ainda nascer com o rosto inchado, com marcas ou manchas. Alguns bebês podem ter uma mancha na região das nádegas, que também desaparecerá com o tempo.
Tanto meninos como meninas podem nascer com as mamas inchadas. Isso acontece pela passagem do hormônio da mãe para o corpo do bebê pelo cordão umbilical. As mamas não devem ser espremidas. Pode-se machucar o bebê e causar inflamação. Aos poucos esse inchaço desaparecerá.

A barriga do bebê é alta e grande. Quando ele respira, sua barriga sobe e desce. O cordão umbilical é grosso, esbranquiçado e úmido. Os braços e pernas do bebê são curtos em relação ao corpo.

Os meninos podem nascer com o escroto (saquinho) grande e cheio de líquido, o que tende a diminuir nos primeiros meses. Também podem nascer com o escroto (saquinho) murcho, pois os testículos ainda não desceram da barriga.

As meninas podem nascer com as partes íntimas (grandes lábios) inchadas e apresentar um pouco de corrimento esbranquiçado ou até mesmo um pequeno sangramento escuro, que sai pela vagina. Isso também acontece pela passagem de hormônio pelo cordão umbilical. A mãe não precisa se preocupar, pois isso desaparece em poucos dias.



Você está aqui: