ead topo

O nascimento de uma criança é a celebração da vida e da esperança. Um milagre de Deus se realizou.


Tudo deve ser feito para que a vinda do bebê seja natural, com quase nenhum risco e sofrimento para a mãe e para ele. Num parto bem assistido, mãe e bebê são tratados com respeito, carinho e atenção. São atendidos em locais com boas condições de higiene e por profissionais de saúde capacitados para prevenir ou resolver os problemas que possam aparecer.
Se possível, é bom que o pai esteja presente na hora do parto e logo após o nascimento. Isso mostra o compromisso dele com o bebê e ajuda na ligação entre eles.

Veja abaixo as diferenças entre o parto normal e o parto cesáreo:

 
 

Parto Normal

Parto Cesáreo

Prematuridade

Menor

Maior

Respiração do bebê

Favorece

Não favorece

Dor no trabalho de parto 

Pode ser dolorosa, com gradações.

 

Dor na hora do parto

Também pode ser controlada com anestesia

É sempre realizada com anestesia

Dor após o parto

Menor

Maior, há necessidade de analgésicos mais forte

Complicações

Menos frequentes

Acidentes anestésicos e hemorragias são mais comuns

Infecções puerperal

Mais rara

Mais frequentes

Recuperação

Mais rápida

Mais lenta

Aleitamento Materno

Mais fácil

Mais difícil

Custo

Menor

Maior

Cicatriz

Menor (episiotomia)*

Maior

Risco de morte

Muito baixo

Pequeno, porém maior do que no parto normal

Futuras gestações

Menor risco

Maior risco


Fonte: Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica: Atenção ao pré-natal de baixo risco. 2013.
* A episiotomia é um corte na região vaginal para facilitar a passagem do bebê, mas esta só é indicada em casos raros definidos pelo médico e deve ter o consentimento da gestante para ser realizada.

Veja o vídeo sobre Cuidados na primeira hora de vida são essenciais para saúde do bebê, do Ministério da Saúdehttps://www.youtube.com/watch?v=E-PYHNRBn58&t=71s

 

A lei nº 13.257, de 8 março de 2016, conhecida como Marco Legal da Primeira Infância, trata dos direitos das crianças da gestação aos 6 anos de idade. Ela estabelece o direito da gestante saber em qual maternidade ela vai fazer o parto no Sistema Único de Saúde - SUS, e o direito a um acompanhante de sua preferência durante o período do pré-natal, do trabalho de parto e do pós-parto imediato.


Você está aqui: