A alimentação da família deve ser variada e colorida para despertar o apetite da criança. Por exemplo: se hoje no almoço comeram arroz, feijão, alface e carne de boi, no dia seguinte ofereça mandioca (macaxeira), ervilhas, cenoura e carne de galinha. É importante variar as frutas também: um dia banana e manga, no outro, laranja e mamão e assim por diante.

Escolha frutas e alimentos da estação e da sua região que são mais frescos, nutritivos e mais baratos.

- Alimentos que devem ser dados à criança todos os dias: frutas, verduras, legumes, leite, carnes, arroz e feijão, que são alimentos ricos em nutrientes importantes para a saúde, como proteínas, vitaminas e sais minerais.

- Alimentos que devem ser evitados: alimentos industrializados, como macarrão instantâneo, maionese, biscoito recheado, salgadinho de pacote, bala, chiclete, chocolate, refrigerante, suco em pó ou de caixinha, entre outros. Estes alimentos contêm muito açúcar, sal ou gordura e substâncias químicas que não fazem bem para a saúde. Estes alimentos não devem ser oferecidos às crianças menores de 2 anos, e depois dessa idade devem ser evitados ao máximo.

- Evite as preparações fritas, preferindo as cozidas ou assadas.

- Ofereça água ao longo do dia.

O exemplo dos pais e avós na alimentação é muito importante. A criança precisa ver que eles também comem o que dizem ser gostoso e bom para a saúde.

Nesta idade o leite materno ainda é muito importante. A amamentação após o primeiro ano ajuda a prevenir a obesidade e outras doenças e tem um papel fundamental no desenvolvimento do cérebro do bebê. Por isso continue amamentando seu filho (a) até 2 anos ou mais, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde.

Além disso, ofereça à criança carinho, amor e atenção. Toda criança deve se sentir amada e protegida para que se desenvolva bem.

Estimule seu filho(a) a brincar, brinque com ele e certifique-se de que esteja tendo um sono de qualidade. Ser ativo e dormir cedo contribui para o seu crescimento.

Você está aqui: