Nos últimos tempos, muito tem sido falado sobre a importância de trabalhar em rede. O trabalho em conjunto promove e garante os direitos das crianças e fortalece ações que priorizam o desenvolvimento infantil.

Quando surge uma dificuldade, mais de uma pessoa pode ser acionada para colaborar e resolver a questão. Isso ajuda a garantir que todas as crianças tenham vida em plenitude

Rede de proteção à criança

“Não se pode fazer comunidade sem proximidade. Não se pode fazer a paz sem proximidade. Não se pode fazer o bem sem aproximar-se das pessoas." (Papa Francisco)

A Pastoral da Criança busca somar esforços e articular o trabalho em conjunto com as entidades que lutam em prol da criança. Faz parte do nosso compromisso fazer o mapeamento da comunidade e identificar quem pode ajudar a Pastoral da Criança na luta para garantir o desenvolvimento saudável das crianças.

Nossa história de cuidado e atenção com o desenvolvimento integral de todas as crianças é longa e tão grande quanto o tamanho dos nossos desafios. Para enfrentar essa luta, o ideal é que a articulação na comunidade aconteça o tempo todo e que possamos trabalhar junto com os diversos programas que buscam a mesma finalidade: garantir oportunidades para as famílias e crianças. Vamos conhecer um pouco mais de alguns dos programas que existem na comunidade e formar uma rede de solidariedade e amor para criar um ambiente favorável ao desenvolvimento das crianças? Essa é a missão de todos nós e toda ajuda é muito bem-vinda!

Agentes Comunitários de Saúde

Os Agentes Comunitários de Saúde realizam atividades de prevenção e promoção da saúde, por meio de ações educativas. Eles desenvolvem um trabalho dedicado à comunidade, por meio de visitas domiciliares ou nos grupos comunitários. E ainda, buscam facilitar o atendimento em todas as unidades de saúde.

Também promovem ações de educação, vigilância alimentar e nutricional, com ênfase na promoção da saúde e na prevenção de doenças e, realizam ações coletivas de saneamento e melhoria do meio ambiente.

Programa Criança Feliz

O Criança Feliz foi criado para garantir a implementação da Lei 13.257/2016, chamada Marco Legal da Primeira Infância, e promover o desenvolvimento integral das crianças considerando e fortalecendo a família e as relações comunitárias.

Seus objetivos são: 

• Promover o desenvolvimento infantil integral.

• Apoiar a gestante e a família na preparação para o nascimento da criança.

• Cuidar da criança em situação de vulnerabilidade.

• Fortalecer o vínculo afetivo e o papel das famílias no cuidado, na proteção e na educação das crianças.

• Estimular o desenvolvimento de atividades lúdicas.

• Facilitar o acesso das famílias atendidas às políticas e serviços públicos de que necessitem.

Diferente do Agente Comunitário de Saúde, que visita todas as famílias e crianças da comunidade, o visitador do Criança Feliz:

• não precisa morar na comunidade em que vai atuar.

• tem que ter escolaridade mínima de 2º grau completo.

• acompanhará crianças de até três anos beneficiárias do Bolsa Família e de até seis anos incluídas no Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Para que a ação do visitador seja mais efetiva, é importante que os líderes o acolham e o ajudem a conhecer a comunidade. Como a atuação do visitador é sempre individual (dentro da casa da família), é importante que a Pastoral da Criança continue fazendo atividades comunitárias, especialmente a Celebração da Vida, para que a comunidade se mobilize para ajudar as famílias com maior dificuldade. Também, é muito bom convidar o visitador para participar das nossas Celebrações.

É importante lembrar que nenhum programa de governo funcionará sem o Controle Social. A Pastoral da Criança pode e deve se mobilizar para reforçar a ação de um bom visitador (impedindo que seja demitido, por exemplo, por motivos políticos) e para denunciar um visitador que não esteja trabalhando de forma correta, conforme nos ensina São Mateus (vide papel da comunidade).

Os líderes da Pastoral da Criança serão beneficiados sempre que houver mais pessoas pensando e colaborando com o desenvolvimento integral das crianças acompanhadas.

Depoimento Como a Pastoral da Criança faz

Alexandre Coordenador da Pastoral da Criança na Diocese de Maceió (AL) e Agente Comunitário de Saúde

1. Como é o trabalho em conjunto entre a Pastoral da Criança e os Agentes Comunitários de Saúde na sua comunidade?

Muita gente acha que existe uma certa rivalidade entre o Agente Comunitário de Saúde e os líderes, mas na minha realidade é o contrário. Na minha comunidade somos parceiros e muitos líderes também são Agentes Comunitários de Saúde. Nada atrapalha, só soma.

2. De que forma vocês conseguem fazer essa articulação?

A articulação acontece o tempo todo, pois muitos Agentes Comunitários de Saúde são também líderes. Isso facilita, pois já são da comunidade e conhecem as famílias. E, quando a gente tem alguma formação da Pastoral da Criança, somos liberados, pois todos sabem que ela ajuda no trabalho. Também trabalhamos juntos com os médicos e enfermeiros, visto que um precisa do outro e sempre estamos procurando nos ajudar.

3. Os agentes, enfermeiros e médicos apoiam a Pastoral da Criança?

Sim, muita gente da equipe participa e até mesmo o Padre convida e faz questão de articular e promover as forças presentes na comunidade. A Pastoral da Criança participa nos Conselhos Municipais e Estaduais e sente o apoio das diferentes instituições da comunidade. Essas parcerias são importantes para levar nosso jeito Pastoral e para atuarmos junto com os técnicos e gestores.

Você está aqui: