As praças da cidade estarão cheias de meninos e meninas a brincar pelas ruas” Zc 8,5

Pode parecer um sonho querer que esta citação bíblica se torne realidade em nossas comunidades, em nossas cidades, em todo lugar. Mas precisamos nos unir, agir, tentar tornar este sonho uma realidade. E por que valorizamos e incentivamos tanto a brincadeira na Pastoral da Criança? Fazemos isso por ser o brincar uma necessidade para o desenvolvimento infantil, estando por isso assegurado como um direito no Marco Legal da Primeira Infância, Lei Federal de nº 13.257/2016 e no Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA. Assim como no artigo 31 da Convenção dos Direitos da Criança: o desenvolvimento infantil e o direito de brincar.

Um pouco de história

Procurando garantir esse direito, foi iniciada em 1995 a “Ação Brinquedos e Brincadeiras” com a implantação de brinquedotecas em algumas comunidades acompanhadas pela Pastoral da Criança.

Para levar a ação a um maior número de comunidades, a partir do final de 2002, reformulou-se a ação com a capacitação dos brinquedistas, pessoas voluntárias que são os defensores e promotores de mais oportunidades para o brincar infantil nas comunidades. Após nova avaliação da ação percebeu-se que somente com a atuação dos brinquedistas não estava sendo atingido um número grande de comunidades.

Para suprir essa necessidade foi instituída, a partir de 2013, a preparação dos brincadores para que possam ser alcançadas a maioria das comunidades com Pastoral da Criança. Eles têm como atribuição organizar o espaço e permitir a brincadeira das crianças no Dia da Celebração da Vida e serão preparados e orientados pelos brinquedistas.

Em 2020, percebemos a necessidade de ampliar os horizontes e desenvolver atividades através do Aplicativo AppVisita Domiciliar. Na Brincadeira é necessário priorizar uma relação de convivência, de afeto e de muito amor. A família, quando bem orientada, pode ajudar a desacelerar a infância e ter mais oportunidades, experiências conjuntas e criatividade. Na brincadeira a criança vai construindo um novo universo de imaginação, descoberta, autonomia e de alegria, o que favorece uma percepção positiva de si mesmo e dos adultos que o cercam. Essa relação de atenção e cuidado dos pais é muito importante, pois numa única brincadeira a criança desenvolve várias habilidades, sejam elas: dos movimentos, da linguagem, de raciocínio, memorização, sensoriais, emocionais, afetivas e sociais.

Objetivo Geral “Ação Brinquedos e Brincadeiras”

Aumentar as oportunidades para as brincadeiras infantis apoiando as famílias na criação de um ambiente favorável ao desenvolvimento e educação de suas crianças.

Para isso Pretende:

promover e defender o direito de brincar mostrando que é uma necessidade para o desenvolvimento da criança;

incentivar e valorizar a brincadeira de livre escolha da criança: a criança é quem escolhe livremente como, com quem e onde quer brincar, ou seja, ela brinca pelo brincar e não para responder a um pedido, ordem ou objetivo do adulto;

valorizar a cultura e a identidade das famílias e das comunidades pelo resgate de seus brinquedos, brincadeiras, contos, danças, cantigas e músicas;

oferecer às crianças, pais e familiares a oportunidade de compartilhar brincadeiras, reforçando assim a criação de laços entre as gerações.

Para alcançar esses objetivos, você, brinquedista, será capacitado para ampliar a visão do desenvolvimento infantil, compreender a importância do brincar e a importância das experiências vivenciadas nos primeiros anos de vida. preparar os brincadores, organizar e promover variadas oportunidades para brincadeiras das crianças na comunidade como as “Ruas do Brincar”.

Você está aqui: