A Pastoral da Criança se baseia no evangelho da multiplicação dos pães e peixes para iniciar e organizar o trabalho nas comunidades.

  1. O Evangelho de São Marcos (Mc 6, 30-44) nos diz que Jesus ouviu tudo o que os apóstolos tinham feito e ensinado:
    - Líder, como você se sente atuando na Pastoral da Criança?
  2. Nesse mesmo Evangelho, Jesus propõe que os apóstolos descansem um pouco. Eles partiram para um lugar deserto, sozinhos. Mas a multidão fica atrás, pois eram como ovelhas sem pastor: 
    - Líder, quantas crianças e gestantes da sua comunidade necessitam da Pastoral da Criança?
  3. Os discípulos queriam que Jesus mandasse a multidão ir embora, para procurar abrigo e comida, mas Jesus lhes ordena “Vós mesmos, dai-lhes de comer”: 
    - Como encarar o desafio que Jesus nos faz hoje, para que sejamos os responsáveis por levar vida em abundância para todas as crianças e gestantes da nossa comunidade?
  4. Jesus perguntou aos discípulos: “Quantos pães tendes? Ide ver”. Um discípulo de Jesus disse: “Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?” (Jo 6, 8-9):
    - Que recursos temos nas nossas comunidades (serviços de saúde, escolas, igrejas, associações de bairro, etc.)?
    - Que pessoas podem nos ajudar em nossa missão?
    - Isso é suficiente para satisfazer o povo de nossa comunidade?
  5. Jesus, então, pediu aos discípulos que organizassem o povo em pequenos grupos para a refeição:
    - E nós, como podemos organizar nossa comunidade em pequenos grupos de famílias para cada líder?
  6. Então Jesus tomou os pães e peixes, pronunciou a bênção, partiu os pães e peixes e deu aos discípulos para que os distribuíssem:
    - Como compartilhamos nossos dons, nosso tempo, conhecimento, experiência de vida e amor com os nossos próximos?
  7. Todos comeram e ficaram saciados e ainda sobrou muito: 
    - Cremos que o pouco que temos, quando partilhado com a bênção de Jesus, é muito?
    - Como saber se o que partilhamos está ajudando na busca da vida plena para todas as crianças e gestantes?

Para organizar as famílias, é importante que os líderes façam o mapeamento da comunidade; isto é, identifiquem quem são e onde moram as famílias com gestantes e crianças até seis anos de idade. Em seguida, é necessário que eles organizem, por líder, os grupos de famílias que serão acompanhadas.

Quando há muitas famílias, é preciso, num primeiro momento, atender às que mais necessitam, por exemplo, as famílias que têm gestantes, crianças mais novas ou doentes. Depois, o coordenador de ramo, com o auxílio dos líderes já preparados e atuantes, vai procurar outros líderes para acompanhar todas as famílias que identificaram na comunidade.

Quem de vós que tem 100 ovelhas e perde uma, não deixa as 99 no deserto e vai atrás daquela que se perdeu, até encontrá-la? (Lc 15,4)

Jesus pediu que seus discípulos vissem se toda a multidão estava alimentada. Também é necessário ver se todas as gestantes, crianças e famílias acompanhadas estão conseguindo melhorar sua situação de vida. Para avaliar o trabalho que realiza, a Pastoral da Criança usa os indicadores do Caderno do Líder e do AppVisita.

É o milagre de Jesus se repetindo nos dias de hoje!

Você está aqui:
Você está aqui: