mae dizendo nao

Ilustração: Bruna Corso

Somos exemplos para nossos filhos. Tudo que fazemos na frente das crianças são exemplo para elas. Dizer não e colocar limites são essenciais na educação das crianças. E as crianças resistirem a esses limites é uma reação natural. Firmeza para lidar com essas reações fazem as crianças entenderem que o limite é real.

Algumas dicas:

Diga um “sim” parcial

Concorde com alguma parte daquilo que ela deseja, como, por exemplo: “Sim, você pode sair, depois que seu quarto estiver em ordem”.

Explique a situação

Explique a situação para criança sem alterar o tom de voz. E sempre se abaixe para conversar com uma criança, olhando no olho dela.

Afastar-se na hora do “chilique”

Na hora do ''chilique'' da criança, a melhor coisa é se afastar por alguns metros e não prestar atenção. Se mesmo assim não adiantar, pegue-a do chão, coloque nos braços e retire-se do local. Leve-a para casa e tenha uma atitude firme. Mas lembre, tudo isso com calma, amor e sem violência.

Medidas firmes

Quando a criança persiste no chilique, é hora de aplicar medidas firmes. Por exemplo: tire algo que ela goste de fazer ou que queria muito. E nunca volte atrás, pois assim demonstra insegurança e a criança vai se aproveitar desse descuido. Não esqueça, sempre sem violência.

Limites

Lembre-se de dar limites desde bebê. Isso inclui o ''não", pois falar "não" também é educar.

O “não” representa amor!

Não se sinta mal, com medo e receio de falar “não”. O “não” representa amor! Ter regras, horários e limites faz com que a criança sinta carinho e atenção dos pais. Ela cresce mais segura e, com certeza, terá melhores condições de encarar a vida.

Utilize sempre o que pede o 4° Mandamento para a Paz na Família:

“Eduque seu filho através da conversa, do carinho e do apoio e tome cuidado: quem bater para ensinar está ensinando a bater”.

Leia também:
Crianças e atitudes construtivas: exemplos que educam

Logo museu da vida horizontal 012

banner2

banner2

educacao etica3

Viva a Vida2

banner rouanet


Oi Visitante, quem é você?