dia sem tabacoDizer que o cigarro só traz malefícios não é novidade. Sua fumaça é o mais prejudicial poluidor que se tem conhecimento, pois contém cerca de 4700 substâncias tóxicas – incluindo arsênico, amônia e monóxido de carbono (o mesmo que sai do escapamento dos veículos), entre outros itens cancerígenos.

Mesmo quem não fuma, mas fica em ambientes expostos à fumaça (fumante/tabagista passivo), é prejudicado por essas substâncias e pode desenvolver graves problemas de saúde. Gestantes, crianças, doentes e idosos fazem parte do público que está mais vulnerável a esse efeito negativo.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável em todo o mundo e pode desencadear cerca de 50 doenças diferentes, além de ser o responsável pela maioria das mortes por câncer.

Segundo a OMS, cerca de 40% das crianças são expostas a fumaça do tabaco em casa. E 31% das mortes atribuídas ao fumo passivo ocorrem em crianças. Este foi um dos motivos para que a Dra. Zilda, em 2009, se empenhasse pessoalmente na campanha para que a Lei Antifumo fosse aprovada no Paraná. Na época, ela conversou com diversos deputados e participou de debates levando as informações sobre os malefícios do cigarro para as crianças. O resultado? No mesmo ano o Paraná integrou o grupo de estados que adotou a Lei Antifumo, antes mesmo da lei federal. Na época, as crianças do Paraná puderam respirar aliviadas. Agora, são as crianças do país inteiro.



Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades

E-mail:*