bebe que mama nao precisa de agua

Estamos enfrentando um dos verões mais quentes da história. Mesmo as cidades, tradicionalmente frias, estão registrando temperaturas acima dos 30º. Com esse calor, muitos pais ficam preocupados com a saúde dos bebês, menores de 6 meses, que só mamam no peito. Em entrevista para a Folha de São Paulo, a pediatra Honorina de Almeida esclarece essa questão.

 Veja a matéria da Folha de São Paulo, publicada no dia 13 de fevereiro de 2014.

 Mesmo no calor, bebê que mama só no peito não precisa beber água

 Por Giovanna Baloch

Não importa se lá fora está 39ºC ou 40ºC. Bebê que mama exclusivamente leite materno não precisa de água nem mesmo nesse calor infernal. O que as mães precisam fazer, segundo pediatras, é aumentar a oferta, ou seja, amamentar o filho em livre demanda – sempre que o bebê quer.

SAIBA MAIS

Aleitamento materno - um ato de amor

Acidentes infantis no verão

Os pediatras explicam que a tendência é que as mamadas sejam mais curtas, porém, mais frequentes nesses dias quentes. A pediatra Honorina de Almeida, conhecida como Nina, diz que o leite que sai no início de cada mamada tem muita água. “Podemos dizer que o leite materno é mais hidratado e menor gordo do que o leite de fórmula”, explica a pediatra da Casa Curumim. Segundo ela, a introdução de água para bebês que mamam exclusivamente leite materno só deve ser feita após os seis meses – junto com a introdução alimentar.

As mães que retornaram ao trabalho e deixam o leite materno para os filhos na creche ou com a babá também não precisam oferecer água. A orientação é para a mãe deixar pequenas quantias armazenadas para oferecer ao longo do dia durante a ausência dela. “Já os bebês que tomam leite de fórmula devem receber água em pequenas quantias nesses dias mais quentes”, orienta a pediatra.

Os bebês com mais de seis meses de idade e que já passaram a comer papinhas salgadas devem consumir ao longo do dia água e frutas, principalmente, melancia e melão por serem bastante aguadas. “A mãe não deve esperar que seu filho beba muita água de uma vez. Criança bebe golinhos e é por isso que deve ser oferecido toda hora, mesmo para as maiorzinhas”, explica. Por conta do forte calor, ela explica que também é normal a criança querer comer menos.

NADA DE SUCO

A pediatra orienta aos pais de seus pacientes a não dar sucos para os bebês. Segundo ela, ao oferecer suco a criança tende a recusar a tomar água futuramente. “O mais importante é a criança ter o costume de tomar água desde cedo”.

Por conta do calor, a recomendação é deixar o bebê só de fraldas, mesmo durante à noite. Para fazer com que as dormidas sejam mais tranquilas, a pediatra diz que os pais podem colocar no quarto do bebê um ventilador voltado para a parede para refrescar o ambiente. Outra orientação é dar mais banhos bem frescos ao longo do dia.

PRAIA E BEBÊ

O bebê pode ir para a praia desde que fique em uma sombra de uma árvore ou em um quiosque. Guarda-sol não é recomendado pois não protege da mesma maneira.

A exposição ao sol deve ser de apenas 15 minutos e sempre antes das 10h ou depois das 16h. Não é recomendado usar protetor solar em bebês com menos de seis meses, então, a melhor opção é muita sombra e chapeuzinho.

“Após os seis meses, o bebê pode entrar na água do mar, mas logo em seguida deve tomar um bom banho de água doce”, diz a médica.

A pediatra Camila Reibscheid, do Hospital São Luiz, recomenda aos pais que ao colocar a criança pequena na água evite os mergulhos. “É  importante manter o ouvido seco ao sair da água por conta das otites [infecção no ouvido]”, diz.

Para ela, os pais também devem optar em levar de casa as comidas que vão ser consumidas pela criança na praia. “Evite dar alimentos ou bebidas que você não conhece a procedência, o risco de contaminação é maior. Os lanches devem ser armazenados em frasqueiras térmicas e os produtos a base de leite devem ser evitados, pois com o calor estragam muito rápido”, aconselha.

Fonte: Folha de São Paulo, 13/02/14