Curitiba (PR)

Na capital paranaense, O Dia de Oração e Ação pela Criança é data oficial na cidade, aprovada pela Lei nº 14.348/13. Na manhã do dia 19 de novembro, houve uma sessão solene na câmara de vereadores de Curitiba. E na tarde de sábado (22 de novembro) diversas atividades movimentaram dois locais: a rua da Cidadania do Carmo, no Terminal do Carmo, e o Portal do Futuro (Rua João Henrique Hoffman, 125), Vila Audi. Ambos tiveram como ponto auge a leitura em conjunto da Oração da Criança. Confira o álbum de fotos.

Mais de mil pessoas reunidas no Terminal do Carmo

carmo

Atividades no Terminal do Carmo

Mais de 1200 pacotes de biscoitos, 13 caixas de maçãs, 12 caixas de banana caturra e diversos garrafões de suco natural. Estes são alguns números do que foi distribuído durante o Dia de Oração e Ação pela Criança na Rua da Cidadania da Regional Boqueirão, no último sábado (22). Segundo estimativas dos coordenadores, mais de mil pessoas, entre crianças e pais, passaram pelo local. “Neste ano escolhemos o tema dos pais brincando com seus filhos. Vi muitos irmãos maiores brincando com os de colo, amigos da mesma idade ajudando na pintura dos rostos, brincando juntos”, comenta Paulo Cesar Gomes, da Rede Global das Religiões pela Criança.

Além da distribuição de alimentos, houve ainda apresentação de capoeira, fanfarra, dança, teatro, e atividades como pintura no rosto, fabricação de brinquedos. Segundo Phaguna Nimai Das, do Movimento Hare Krishna, o Dia de Oração é uma oportunidade de congregar todos que estão buscando Deus. Ele acrescenta ainda que fazer esse trabalho com a criança é importante porque “a alma não tem idade”.

Compromisso com a infância

A Pastoral Juvenil Marista (PJM) ajudou as crianças a desenvolver alguns brinquedos durante o evento. Para Adriele Druciak, esse momento significa uma oportunidade de exercitar o compromisso com o outro, “e especialmente com o nosso compromisso com a causa das crianças”, lembra.

Para o vereador Geovane Fernandes (PTB), responsável pela iniciativa de colocar o Dia de Oração no calendário oficial de eventos do município, investir na infância é essencial para se pensar em um amanhã melhor para todos. “Em Curitiba a proposta teve 100% de aprovação na Câmara porque compreendemos que o futuro está nas mãos das crianças", ressalta.

O evento, de caráter inter-religioso, envolveu diversos movimentos religiosos, como a Pastoral da Criança, Legião da Boa Vontade, Pastoral Juvenil Marista (PJM), Focolares, Igreja Messiânica, Fé Bahá'í, Hare Krishna, Ordem Rosacruz (AMORC), entidades não-governamentais, como o Conselho Tutelar e entidades municipais, como a Fundação de Ação Social, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Secretaria Municipal de Lazer, Esporte e Juventude (SMELJ).

Atividades diversificadas no Portal Futuro - Vila Audi

audi

Teatro no Portal do Futuro - Vila Audi

Mais de 700 pessoas compareceram ao Portal do Futuro, na Vila Audi – divisa entre Curitiba e São José dos Pinhais (PR). Depois de uma manhã chuvosa, veio uma tarde com muita brincadeira e oportunidades para renovação da espiritualidade, prepapara por líderes e coordenadores da Pastoral da Criança, com o auxílio de instituições parceiras.

A SMELJ promoveu atividades de pintura no rosto, confecção de brinquedos com materiais descartáveis e uma mostra de dança, com grupos das comunidades locais e convidados. Profissionais municipais da área de saúde bucal, da Unidade de Saúde Alvorada, ensinaram a maneira correta de escovar os dentes e a diferença entre alimentos que fazem bem à boca e aqueles que causam cáries e outros males.

O Grupo de Operação e Socorro Tático, do Corpo de Bombeiros, participou desse dia apresentando às crianças seus materias de resgate e busca. “O objetivo é mostrar um pouco do nosso serviço”, explicou o sargento Danilo Lima.

Felicidade, cuidado e direitos

Com a peça “O palhaço diferente”, o grupo Oxigênio, da Igreja Presbiteriana de Curitiba, transformou a quadra coberta em um grande palco. “A peça fala sobre um palhaço triste, em busca da felicidade. Demonstra diversas situações até ele encontrar a real fonte”, conta Paulo Werner, coordenador do grupo. Depois da apresentação de teatro, os atores conversaram com as crianças sobre os sentidos despertados pela história.

Voluntários da Fundação Mokito Okada levaram mudas e flores para incentivar o cultivo de hortas caseiras e mostrar a arte japonesa de arranjos (ikebana). “Entendemos que quando você coloca o sentimento de levar o bem para as pessoas e a alegria, a flor leva isso mesmo. Também ensinamos a levar o vaso, sentir a terra nas mãos e plantar a muda. O mais importante é o conceito do cuidar. Quem se preocupa com uma planta, se preocupa com o próximo”, diz Gustavo Sá Pereira, coordenador da Fundação.

Membros do Conselho Tutelar da Regional Cajuru também destacaram a importância desses momentos de aproximação com a população: “Não somos um órgão repressor. É preciso desmistificar um pouco essa imagem. Somos uma instituição que luta pelos direitos das crianças e dos adolescentes”, disse o conselheiro Roger Abade.

Fizeram parte da festa ainda: Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte da Capoeira – Abadá; Colégio Omar Sabbag (responsável pela confecção de pipas); grupo Philadelphia, da Assembléia de Deus – Jardim Acrópole; grupo de jovens Liberta, da Igreja Evangélica Quadrangular – Jardim União; padres rogacionistas; irmãs ursulinas; e representantes de diversas paróquias.