Todos os anos, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresenta e conclama toda a sociedade a participar da Campanha da Fraternidade, como caminho de conversão quaresmal, cultivo e cuidado comunitário e social. Em 2017, a Campanha tem como tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”. E, inspirado no Livro do Gênesis (2,15), o lema: “Cultivar e guardar a criação”.

Confira algumas dicas para a preservação de cada bioma e aproveite para conhecer a exposição que o Museu da Vida montou sobre isso. Ela teve seu prazo prorrogado e ficará aberta até o mês de novembro.



Dicas para preservar a Amazônia:

  1. Evite cortar árvores para cultivar alimentos e/ou criar animais. Você sabia que muitas espécies de plantas se desenvolvem muito bem na sombra? Veja alguns exemplos: Açaí, banana, carambola, cacau, goiaba, graviola, jenipapo, mamão, pupunha-palmito, taperebá e tucumã.

  2. Evite queimadas. Além da fumaça, o fogo pode matar muitas espécies de animais e plantas nativas.

  3. Faça a retirada conscientemente de recursos ofertados pelas florestas (e.g. frutos, madeira, caça, pesca), respeite o período de reprodução e retire somente a quantidade necessária para sua subsistência.

  4. Evite construir sua casa e outras edificações em regiões de várzeas, igapós e rios. Além de proteger sua família de uma possível enchente, também protege as margens desses corpos “d’água, evitando erosão, assoreamento e mortalidade de peixes e animais de água doce”.

  5. Seja gentil no trânsito, respeite a sinalização e os limites de velocidade. Ações como esta evitam o atropelamento de pessoas e animais silvestres.


Dicas para preservar a Caatinga:

  1. Evite o desmatamento e queimadas. Estes impactos prejudicam a captação de água no solo e pode reduzir ainda mais a quantidade de chuva na região.

  2. Plante árvores nativas e frutíferas logo após o período chuvoso (fevereiro e março). As árvores frutíferas atraem aves e outros animais, melhoram a qualidade do solo e proporcionam sombra nos períodos mais quentes do dia.

  3. Utilize outras fontes de energia que não seja a queima da madeira. A destruição das áreas verdes contribui para a seca e pode levar a extinção de espécies.

  4. Caso necessite cortar árvores, é aconselhável cortar galhos ou deixar tocos e não arrancá-las totalmente. Muitas árvores da Caatinga conseguem se regenerar por meio de rebrota dos tocos. Para que isso aconteça, a área não deve ser queimada.

  5. Uma boa alternativa para conter a erosão é o reflorestamento. Isso auxilia também na preservação das espécies.


Dicas para preservar o Cerrado:

  1. Evite queimadas. Sabemos que muitas espécies do Cerrado são adaptadas ao de fogo, mas as queimadas frequentes enfraquecem as plantas e matam animais, podendo levá-los à extinção.

  2. Retire do Cerrado somente o que for para sua subsistência. Respeite o período de reprodução de cada espécie.

  3. Evite cultivar plantas não nativas do Cerrado. O capim gordura, por exemplo, serve de alimento para o gado, mas cresce rapidamente em áreas abertas, sufocando espécies nativas e contribuindo para o alastramento do fogo em caso de queimadas.

  4. Evite o desmatamento das matas ciliares, topos de morro, e encostas. Essas áreas são importantes para a manutenção da qualidade das águas, do solo e da captação de água, que muitas vezes abastece a sua cidade.

  5. Seja gentil no trânsito, respeite a sinalização e os limites de velocidade. Ações como esta evitam o atropelamento de pessoas e animais silvestres.


Dicas para preservar a Mata Atlântica

  1. Evite o desmatamento. Essas áreas são importantes para a manutenção da biodiversidade, da qualidade das águas, do solo e da captação de água, que muitas vezes abastece a sua cidade.

  2. Nunca compre plantas ou animais silvestres provenientes da Mata Atlântica sem saber a procedência. Eles podem ter sido extraídos ilegalmente.

  3. Plante árvores nativas em pastos, margens de rios e açudes que tiveram suas áreas degradadas. Isso contribuirá para a regeneração da mata e manutenção da vida, incluindo a sua.

  4. Evite queimadas. Além da fumaça, o fogo pode matar muitas espécies de animais e plantas nativas.

  5. Retire da Mata Atlântica somente a quantidade de recursos necessários à sua subsistência (e.g. frutos, madeira, caça, pesca). Respeite o período de reprodução de cada espécie.


Dica para preservar os Pampas

Evite o plantio de espécies exóticas (não nativas dos Pampas). Muitas espécies exóticas se reproduzem rapidamente e podem matar espécies nativas e reduzir a biodiversidade.


Dicas para preservar o Pantanal

  1. Vai pescar? Então consulte sobre autorização e respeite as regras e o período de reprodução dos peixes. Muitas espécies podem desaparecer por causa da pesca predatória e irresponsável.

  2. Não compre animais silvestres. Estes animais podem ter sido retirados ilegalmente da natureza.

  3. Não corte árvores. Elas podem servir de abrigo para as várias aves que vivem e/ou visitam sazonalmente o Pantanal.

  4. Seja cuidadoso no trânsito, respeite a sinalização e os limites de velocidade. Ações como esta evitam o atropelamento de pessoas e animais silvestres.


Recomendações gerais

  1. Evite o desmatamento. Áreas verdes são importantes para a manutenção da biodiversidade, da qualidade das águas, do solo e da captação de água, que muitas vezes abastece a sua cidade.

  2. Evite queimadas. O fogo pode extinguir espécies vegetais e animais, além de prejudicar a captação de água e contribuir para o aquecimento global.

  3. Nunca compre plantas ou animais silvestres sem saber a procedência. Eles podem ter sido extraídos ilegalmente.

  4. Retire conscientemente os recursos ofertados pela natureza (como frutos, madeira, caça, pesca), respeite o período de reprodução de cada espécie e retire somente a quantidade necessária para sua subsistência.

  5. Não cultive/crie espécies exóticas (vindas de outras regiões). Elas podem se espalhar no meio ambiente, eliminar espécies nativas e reduzir a biodiversidade.

  6. Economize água e energia. Faz bem para o meio ambiente e para o bolso.

  7. Ponha em prática os “3 Rs”: reduza o consumo, reutilize e recicle materiais. Estas ações evitam o desperdício e reduz a quantidade de lixo.

  8. Plante árvores. A vegetação protege o solo contra erosão, produz sombra e melhora a qualidade de vida.

  9. Seja gentil no trânsito, respeite a sinalização e os limites de velocidade. Ações como esta evitam o atropelamento de pessoas e animais silvestres.