Índice de Artigos

A hanseníase pode atingir homens e mulheres em qualquer idade, sendo mais grave quando ataca pessoas com menos de 15 anos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) o Brasil é o segundo país em números de casos de pessoas com hanseníase, o que traz um grande alerta para todos nós. Para saber mais sobre esta doença, a entrevista desta semana é com Clóvis Boufleur, gestor de Relações Institucionais da coordenação nacional da Pastoral da Criança.

Infelizmente as estatísticas mostram que o Brasil ocupa o 2º lugar em casos de hanseníase, por que isso?

 clovis bofleur

Clóvis Boufleur - Gestor de Relações Institucionais da Pastoral da Criança

 Nós temos ainda essa chaga no Brasil, que é esquecida pelo serviço de saúde, pelos governos, e que muitos não se interessam em resolver este problema de saúde publica. Todos os anos quase 30 mil pessoas no Brasil começam o tratamento desta doença. A eliminação da hanseníase é possível com esforço e mobilização e nós precisamos enfrentar este problema.

Muitas pessoas ainda tem dúvidas e não sabem reconhecer a hanseníase. Explique o que é esta doença?

A hanseníase é uma doença causada pelo micróbio conhecido como bacilo de hansen que ataca a pele os nervos e quando o tratamento é muito tardio, demorado, e a pessoa não vai logo ao serviço de saúde, esta doença pode até provocar algumas deformidades físicas. Por isso é preciso tratar logo que se observar os sinais da doença.

E como se transmite a hanseníase?

As pessoas com a forma contagiosa da doença, sem tratamento, são as transmissoras da hanseníase, por meio das vias respiratórias como tosse, fala ou espirro. A hanseníase não é hereditária, não passa de pai pra filho e nem se transmite através do abraço, aperto de mão e expressões de carinho. Em casa ou no trabalho não é preciso separar roupas, pratos, talheres e copos. As pessoas que moram com alguém que recebeu o diagnóstico da hanseníase devem ser examinadas no serviços de saúde e orientadas para reconhecer os sinais e sintomas dessa doença.

Quais são as principais sintomas da hanseníase?

Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo. A pessoa com hanseníase pode ser tocada no local da mancha e não sentir queimar e se machucar e não sentir dor. Os nervos embaixo da pele principalmente ao longo dos braços, mãos, pernas e pés, quando é atacado pelo bacilo, ficam engrossados, ficam fracos, com a sensação de formigamento, choques, fisgadas ou agulhadas.

Como é possível saber se uma pessoa tem hanseníase?

O sinal mais evidente é a mancha esbranquiçada na pele. A pessoa não transpira no local e não sente dor. Nas escolas, por exemplo, as professoras podem observar na hora da educação física quando as crianças tiram a camiseta, quando vão nadar ou fazer alguma atividade física, é possível visualizar facilmente. E em casa os pais precisam ficar atentos na hora do banho, por exemplo, e olhar se a criança tem alguma mancha ou a própria pessoa pode se autoavaliar diante do espelho ou olhar seus braços, suas pernas. Se surgir algum sinal de uma mancha esbranquiçada que não dói ao tocar é um sinal de que é preciso buscar o serviço de saúde.

Como é feito o tratamento da hanseníase e quanto tempo dura este tratamento?

Existem dois tipos de tratamentos. O tratamento para a doença quando há poucas manchas, que é chamada de paucibacilar, tem duração de 6 meses e o tratamento mais longo, que é de um ano, para hanseníase com muitas manchas ou multibacilar. O tratamento inicia-se no serviço de saúde e depois deve-se continuar em casa com um comprimido diário que é oferecido de graça pelo serviço de saúde em todas as unidades básicas de saúde do Brasil.

Como trata-se de antibiótico não se deve parar o tratamento pela metade, somente por que percebeu que sumiram algumas manchas ou que houve uma melhora no quadro, é preciso manter o tratamento até o final.

É possível prevenir a hanseníase?

A prevenção se dá pelo tratamento logo que a doença aparece, pois a pessoa deixa de transmitir. A prevenção é o tratamento precoce, imediato. Existe também a vacina BCG que ajuda a evitar a propagação da doença. A vacina consegue manter o sistema mais imune principalmente para que a doença não se manifeste tão violentamente. Todas as crianças recebem esta vacina na unidade de saúde, os adultos também podem tomar a vacina caso não tenham recebido na infância.

Infelizmente ainda vemos no Brasil, medo, preconceito, discriminação com quem tem hanseníase, o que você poderia nos explicar sobre isso?

Algo que devemos ter claramente é que a hanseníase não se transmite com o uso de copos, talheres ou mesmo apertos de mão, doação de sangue e ela não impede que as pessoas continuem no trabalho ou continuem a vida normal na escola. É preciso saber que a forma de transmissão é basicamente através do espirro, das gotículas nasais e que  a hanseníase tem tratamento. A pessoa precisa ir até a unidade de saúde, fazer o diagnóstico e sair de lá com o remédio para fazer o tratamento. Já nos primeiros dias do tratamento ela deixa de transmitir a doença.

A Pastoral da Criança tem uma parceria para ajudar a eliminar a hanseníase no Brasil.

A Pastoral da Criança se une a muitas entidades e governos que querem eliminar a hanseníase no Brasil. Nós produzimos um material educativo sobre a hanseníase e  levamos a diante uma série de atividades junto as famílias, como orientação e busca de resultados que possam mostrar que é possível eliminar esta doença. Saiba como.

Confira mais uma entrevista de Clovis Boufleur sobre a hanseniase

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

1151 - 21/10/2013 - Hanseníase

Sul
 
Norte
 

 

Mais recentes - Missão