mulher-fazendo-o-descarte-correto-de-medicamentoLugar de remédio vencido não é no lixo. Veja as formas corretas de descartá-lo

 No Brasil mais de 90% da população não tem conhecimento sobre a forma correta de descartar os medicamentos vencidos ou sobras de medicamentos e acaba jogando os mesmos no lixo ou no vaso sanitário. Esse procedimento contamina a água e o solo, ampliando o surgimento de “lixões”. Quando o descarte não é efetuado de maneira correta, o meio ambiente fica comprometido, além do risco de contaminações e acidentes com crianças e pessoas que frequentam os lixões.

A Pastoral da Criança, preocupada com essa questão, realiza parcerias com diversas instituições e organizações para conscientizar as famílias e as comunidades para os riscos do descarte incorreto de medicamentos.

ProREMED: Programa de Recolhimento de Medicamentos

Em Maringá (PR), a Pastoral da Criança desenvolveu um projeto de arrecadação de medicamentos vencidos juntamente com a empresa Jr. Teófilos Assessoria e Consultoria farmacêutica, do curso de Farmácia da Universidade Estadual de Maringá.

Veja mais notícias do estado do Paraná

O Programa de Recolhimento de Medicamentos, ou como é mais conhecido, o ProREMED, é um programa de recolhimento de medicamentos vencidos e inutilizados, com o objetivo de evitar o descarte inadequado dessas substâncias químicas em locais indevidos, como no lixo comum ou até mesmo na rede de esgoto.

Mais importante do que recolher medicamentos vencidos, o ProREMED propos o desenvolvimento de uma campanha sócio-ambiental para conscientização da população dos riscos que envolvem o descarte incorreto de medicamentos. A automedicação, a contaminação de lagos, rios, ecossistemas em geral, além do aparecimento de cepas bacterianas multirresistentes são problemas a cerca desse descarte incorreto e não devem, de maneira alguma, ser subestimados.

SAIBA MAIS
omo descartar os medicamentos vencidos ou sobras

A campanha iniciada em 2011, promoveu a consientização das famílias para o descarte correto dos remédios. Os estudantes de farmácia foram até as comunidades, nos dias da Celebração da Vida, e orientaram as famílias sobre a forma correta de descartar os medicamentos, além da instalação de pontos de coleta. Segundo Leilane Rodrigues, coordenadora da Pastoral da Criança, essa ação foi bastante importante, "com a orientação que as mães receberam dos estudantes, mudaram a forma como as famílias descartam os medicamentos. Nossas famílias precisam disso, de informação", ressalta Leilane.

Hoje, as famílias acompanhadas pela Pastoral da Criança em Maringá, sabem da importância de não jogar os remédios no lixo comum e procuram os pontos de coleta para realizar o descarte.

Foto: UNIMED

Descarte de medicamentos

Todos os anos dezenas de toneladas de medicamentos são produzidos e vendidos, e os medicamentos não utilizados ou vencidos são jogados no lixo ou no vaso sanitário. No entanto sabemos que devemos dar um destino correto a estes medicamentos. É o que chamamos de descarte de medicamentos.
Sobre este assunto, Renato Alencar Porto, Diretor da Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, nos traz mais informações.

Renato, o que acontece quando jogamos os medicamentos no vaso sanitário, na pia, no esgoto ou no lixo?

 entrevista-anvisa

 Renato Alencar Porto - Diretor da Anvisa

É muito importante lembrar que o medicamento, por si só, é um produto diferenciado, que tem nele embutido um risco sanitário. É um produto que precisa ser utilizado somente após uma prescrição médica, com os cuidados necessários que todo medicamento precisa ter.

O que acontece, quando ele vai para o vaso sanitário, pia ou esgoto, é que gera contaminação do meio ambiente. Quando jogado no lixo ainda há outro agravante, pois no Brasil existem lixões e estes produtos, sendo levados ao lixo, posteriormente outras pessoas poderão fazer o uso dele. Porém, este medicamento, com certeza, não terá capacidade nenhuma de atender ao seu objetivo. A indicação é não jogar no lixo, na pia ou vaso sanitário, mas sim procurar um posto de coleta.

Como o cidadão deve descartar os medicamentos corretamente?

Primeiro devemos lembrar que o medicamento deve ser comprado ou disponibilizado ao cidadão na exata quantidade que ele irá precisar e, com isso, não sobre  medicamento e as pessoas não tenham esse resíduo do medicamento após a utilização.

Muitos estados já possuem programas voluntários de recolhimento dos medicamentos e nos estados e municípios que não têm essa disponibilidade na rede privada, o medicamento pode ser levado ao hospital ou posto de saúde próximo para que seja dada a destinação adequada para esta sobra de medicamento. O que indicamos é que o cidadão consulte a farmácia mais próxima da sua casa e verifique se tem um programa de recolhimento de resíduos, lembrando sempre que o paciente deve tomar apenas a quantidade necessária para o tratamento. Os produtos já vêm de fato com a definição do número de medicamentos necessários para o tratamento e não ter este resíduo é a melhor opção.

Devemos levar também as embalagens?

Sim. É muito importante que as embalagens e as caixas sejam guardadas enquanto estiver tomando o medicamento. Isso é importante pois caso aconteça algum fato alheio ao tratamento médico a pessoa pode informar de fato qual medicamento é, qual medicamento foi tomado. É  importante que se guarde durante todo tratamento e, posteriormente, quanto ao descarte do medicamento, se leve as bulas e embalagens.

O que é feito com os medicamentos descartados?

Estes medicamentos, hoje na sua maioria, são produtos levados para incineração e outras formas de descarte de medicamento. Muitos dos medicamentos são recolhidos pelos fabricantes.

Pode-se descartar qualquer tipo de medicamento ou só algum tipo específico?

Pode-se descartar qualquer tipo de medicamento. A Política de Recolhimento também irá definir critérios para descarte de acordo com a categoria: líquido ou sólido. A Política de Recolhimento irá definir como fazer isso, mas pode-se descartar qualquer tipo de medicamento.

E os medicamentos que ainda não estão vencidos, mas não serão usados. O que devemos fazer com eles?

Todos os medicamentos devem ser utilizados na sua estrita necessidade, mesmo o medicamento estando dentro do prazo de validade. A validade por si só não é o único requisito para saber se o produto está adequado para o consumo e se ele é o medicamento adequado para o consumo posterior. Indicamos que a sobra do medicamento do tratamento seja descartado, vá para política de recolhimento.

Quais são as recomendações da Anvisa?

Indicamos que os medicamentos sejam mantidos longe do alcance de crianças, que sejam guardados em locais arejados, que não peguem sol e que tenham uma temperatura adequada para manutenção. Este é um produto diferenciado que tem um risco natural no consumo errado, portanto, deve haver um cuidado ao manejá-lo e ao guardá-lo.

Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança.
Ouça o programa de 15 minutos na íntegra

1166 - Descarte de medicamentos - 03/02/2014

Sul
 
Norte