1330 alimentacao e saude cpf

Foto: Acervo da Pastoral da Criança

Muitas vezes, nos deparamos com a frase: “Nós somos o que comemos”. E ela está mais do que certa! A alimentação possui papel fundamental na vida das pessoas. Além de ser uma necessidade básica, ela influencia todo o organismo e, consequentemente, a saúde de cada um de nós.

Tão importante quanto ter acesso aos alimentos, é saber escolhê-los e comer a quantidade adequada às necessidades diárias, de acordo com as diferentes fases da vida, como conta a Irmã Ana Maria SIlva Souza, coordenadora da Pastoral da Criança na Diocese de Floriano (PI): “Na nossa realidade de nordeste, a dificuldade que as pessoas têm de se alimentar é muito forte. Claro, a gente vê e sabe de muitas que não têm as condições necessárias para ter o alimento, mas até mesmo as que têm, escolhem comer aquilo que não é bom, não é saudável, como os industrializados, quando poderiam estar fazendo as hortas em casa. Isso acaba causando muitas situações de anemia, baixo peso e também o contrário, a obesidade.”

 Segundo a coordenadora, para mudar essa realidade é necessário conscientizar as famílias: “Precisamos criar a consciência, intensificar essas informações e fazer uma formação nesse sentido. Assim, as pessoas começam a entender a importância de se alimentar bem de uma horta caseira ou, até mesmo, comunitária. Isso eu vejo lá em casa mesmo, é mais fácil ir no supermercado, que já está lá prontinho, mas esquecemos dos agrotóxicos, por exemplo. A alimentação saudável é uma escolha de vida e podemos começar consumindo o que plantamos”.

Dra. Zilda

“Ter uma alimentação é proteger não só a si própria, mas também essa criança maravilhosa que está gerando em seu seio.”

Papa Francisco

“o direito à alimentação só será garantido se nos preocuparmos com o sujeito real, ou seja, com a pessoa que sofre os efeitos da fome e da desnutrição”

 A coordenadora Rosana Gil Queiroz, de Luziânia (GO), lembra da iniciativa que ela e as líderes da comunidade tiveram e que vem mudando a realidade de muitas famílias. “Nós pleiteamos verduras com a Conab [Companhia Nacional de Abastecimento] e passamos a distribuir elas para as mães assistidas, hoje já são 150 famílias. Com isso nós começamos a trabalhar com as famílias, principalmente as mães mais novas, sobre como cozinhar, como fazer o feijão, preparar os legumes, lavar os alimentos e até mesmo, dando receitas de comidas saudáveis, já que esse valor se perdeu. Também, como dar para a criança, para que ela vá se acostumando e adaptando o paladar pra comer esse tipo de alimento”.

“Ao começar com esse trabalho, a gente percebeu que houve uma mudança muito boa na comunidade e em seguida, nós já começamos a despertar nas nossas mães o interesse pelo Acompanhamento Nutricional, as hortas caseiras e fomos ensinando que tem como pegar até as garrafas pets, o pneu velho, o tambor de plástico e transformar numa hortinha no quintal. Além das famílias irem aprendendo sobre alimentação, elas passam a entender sobre limpeza, a substituir e reaproveitar isso tudo que muitas vezes só estava jogado no fundo do quintal”, acrescentou Rosana.

“Nossas mães continuam com essas ações, a Pastoral da Criança se tornou um nome muito forte e de referência na comunidade, então sempre que eles têm dúvidas, dificuldades, eles sabem que podem nos procurar e assim, a gente consegue fazer todas essas mudanças e realmente trabalhar as ações da Pastoral, como o Acompanhamento Nutricional e as Hortas Caseiras”, concluiu a coordenadora de Luziânia.

22º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável

“Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável”.

O 2º Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS), promovido pela ONU e que deverá ser atingido pelos países participantes até 2030, tem entre suas metas: acabar com a fome, garantir o acesso de todas as pessoas a alimentos nutritivos e suficientes durante todo o ano, acabar com todas as formas de desnutrição e garantir o sistema sustentável de produção de alimentos e práticas agrícolas que aumentem a produtividade, ajudem a manter os ecossistemas e melhorem a qualidade da terra e do solo. As ações da Pastoral da Criança, como o Acompanhamento Nutricional e as Hortas Caseiras, buscam assegurar que todos tenham uma alimentação saudável e vida plena.