Bebês devem dormir de barriga para cima

 

Estudos mostram que essa é a forma mais segura de colocar o bebê para dormir. Confira o tira dúvidas sobre o assunto:

1. O que é morte súbita infantil (MSI)?

É a morte inexplicável e repentina de um bebê, diagnosticada por exclusão: quando não se acham outras causas que podem explicar a morte da criança. Também é conhecida como morte do berço, pois acontece enquanto o bebê está cochilando ou dormindo. A morte súbita é uma das maiores causas de mortes entre bebê até um ano de idade. Ocorre mais frequentemente nos primeiros meses de vida, em geral nos meses de inverno.

2. Qual é a causa da morte súbita infantil?

A causa da MSI é desconhecida, mas foram identificados fatores que aumentam o risco de morte súbita:

- bebê que dormem de bruços ou de lado;
- exposição ao fumo durante a gravidez e após o nascimento a exposição ao fumo no ambiente;
- consumo de álcool e drogas durante e após a gestação;
- falta de aleitamento materno;
- uso de colchões ou travesseiros muito moles e fofos;
- presença de brinquedos, travesseiros, rolinhos e outros objetos no berço que podem sufocar o bebê;
- superaquecimento do bebê;
- nascimento prematuro ou bebês com baixo peso ao nascer.

3. Qual a posição mais segura para o bebê dormir?

A orientação dos especialistas é que você sempre coloque o bebê para dormir de barriga para cima, seja para uma soneca no meio da tarde, seja à noite e não importa se é em casa, na creche ou na casa da avó. Por isso oriente todas as pessoas que irão lhe ajudar a cuidar do bebê que sempre o deitem de barriga para cima.

4. Como tornar mais seguro o sono do bebê?

Estudos mostram que o simples fato de colocar o bebê para dormir de barriga para cima pode reduzir em até 70% o risco de morte súbita. Também existem outras orientações que ajudam a evitar a MSI:

- Evitar o excesso de roupas e fraldas que possam dificultar os movimentos do bebê superaquecer seu corpo.
- Deixar os braços do bebê livres, para fora das cobertas, assim, evita-se que ele deslize na cama e fique com a cabeça embaixo das cobertas.
- Deixar a cama livre de almofadas, travesseiros, “cheirinhos” (paninhos usados por algumas crianças para dormir), bichos de pelúcia e outros brinquedos que possam dificultar a respiração do bebê
- A temperatura do quarto deve ser confortável para um adulto vestindo roupas leves. O bebê não deve parecer quente ao ser tocado.



5. Colocando o bebê para dormir de barriga para cima ele não pode se afogar com o próprio vômito?

Esse pensamento é uma crença popular incorreta. Ao deitar de lado ou com a barriga para baixo o bebê respira um ar viciado, ou seja, o ar que ele próprio expira. Uma criança maior ou um adulto acordariam ou trocariam de posição para evitar o sufocamento, mas em alguns bebês a parte do cérebro que controla este reflexo não está desenvolvida. Por isso, ele acaba morrendo por asfixia. Se uma criança está deitada de barriga para cima e se afoga, sua tendência, por instinto, é tossir e com isso chamar a atenção dos pais. No caso da morte súbita, essa reação não acontece e a morte se dá de forma “silenciosa”.
Dr. Cesar Victora, doutor em Epidemiologia pela London School of Hygiene and Tropical Medicine e pesquisador da UFPel, é enfático em responder a quem usa o argumento de que a criança, dormindo de barriga para cima, pode vomitar e se afogar com o vômito: “é melhor engasgar do que morrer”.

6. Então não se deve deixar o bebê dormindo de lado?

Não. Os riscos de dormir de lado são semelhantes a dormir de barriga para baixo. A posição é instável e muitos bebês rolam e ficam de bruços. Quando o bebê dorme de lado, além de poder asfixiar-se com um ar viciado, ou seja, o ar que ele mesmo respira, a criança pode futuramente ter complicações na coluna e no pescoço, pois como elas estão em fase de formação e seus corpos são muito frágeis.

7. Desde quando o bebê deve começar a dormir de barriga para cima?

O bebê deve começar a dormir de barriga para cima assim que seja possível, logo após seu nascimento. É importante levar em conta que que os bebês devem se acostumar com essa posição lentamente.

8. Até que idade é preciso se preocupar com a posição correta para o bebê dormir?

A MSI atinge bebês de até um ano de vida. Portanto, até o bebê completar essa idade é preciso ficar atento com a posição correta para ele dormir: de barriga para cima!

9. Quando é possível deixar o bebê em outra posição?

Quando o bebê estiver acordado, pode ser colocado de barriga para baixo desde que acompanhado por um adulto. Essa posição é recomendada para o fortalecimento da musculatura e desenvolvimento do bebê.

10. Quem recomenda que os bebês devem dormir de barriga para cima?

As evidências científicas são inquestionáveis e as academias de pediatria dos EUA e Inglaterra, por exemplo, já recomendam fortemente deitar o bebê de barriga para cima. Os países que promovem deitar o bebê nessa posição reduziram as mortes súbitas em 50%. A Sociedade Brasileira de Pediatria também faz esta recomendação e a Pastoral da Criança orienta as mais de 1,4 milhão de famílias acompanhadas que os bebês devem dormir de barriga para cima.

11. Já foram feitas outras campanhas de prevenção a morte súbita no mundo?

Sim, Os Estados Unidos e a Inglaterra já realizaram importantes campanhas orientando que a posição segura para o bebê dormir é de barriga para cima. No ano 1992 a Academia Americana de Pediatria, em conjunto com a campanha educacional conhecida como “Back to Sleep” (“de costas para dormir”) , recomendaram colocar as crianças para dormir com a barriga para cima, com o intuito de diminuir o risco de MSI. Esta estratégica conseguiu reduzir a incidência de MSI em 40%. Abaixo segue gráfico que demonstra como a campanha contribuiu para a redução do índice de MSI nos Estados Unidos:

 

Esta redução dos óbitos infantis por MSI ocorreu em diversos países após o desenvolvimento de campanhas semelhantes. A campanha desenvolvida em 1991 na Inglaterra conseguiu reduzir o número de óbitos por MSI em 75%:

12. Qual é o índice de incidência da morte súbita infantil em crianças da América Latina?

Ainda não há estatisticas, mas acredita-se que seja em torno de 1,0 por mil nascidos vivos. O grande problema na América Latina é a má notificação nas declarações de óbito (DO) quando ocorre a morte súbita. Os profissionais de saúde muitas vezes não reconhecem a MSI. É um tipo de óbito que ocorre, mas acaba sendo classificado com outras causas ou morte de causa desconhecida.

 

13. O que fazer quando uma criança se afoga com o leite?

Em primeiro lugar chame a assistência médica. Depois você pode seguir essas orientações da American Heart Association.

Obstrução das vias aéreas em bebês (engasgo/asfixia)

Sinais e Sintomas
Dificuldade para respirar ou chorar, tosse fraca e coloração azulada dos lábios podem ser sinais de engasgo por líquidos (leite, água, sucos) ou sólidos (alimento ou objeto, por exemplo: sementes, partes de brinquedos, entre outros) em bebês. Nessa situação, é preciso agir rápido e corretamente para poder ajudá-lo.

Procedimentos para desobstrução de vias aéreas
1.Deite o bebê de bruços em seu antebraço, apoiando a cabeça e a mandíbula do bebê em sua mão, mantendo-a mais baixa que o corpo. Com o “calcanhar” da mão livre, dê cinco golpes entre as escápulas (parte superior das costas).

2.Se o corpo estranho não for eliminado após os cinco golpes, vire o bebê e, ainda mantendo a cabeça mais baixa que o corpo, faça cinco compressões com dois ou três dedos no centro do tórax.

3.Alterne os cinco golpes nas costas e as cinco compressões no peito até que o corpo estranho seja removido ou o bebê consiga respirar, tossir ou chorar. Se não houver a recuperação esperada, será necessário iniciar manobras de reanimação cardiorrespiratória. Solicite socorro pelo telefone 192 (SAMU).

Fonte: American Heart Association – Primeiros Socorros 2008 (versão em português)

 

14. O Além de colocar o bebê dormir de barriga para cima também posso dar uma leve inclinada no berço?


Colocando de barriga para cima o estômago fica em posição mais adequada e diminuem as regurgitações.
Lembre que todo bebê pode vomitar e regurgitar. Isso, na maior parte das vezes, não causa incômodo e melhora sozinho antes de um ano de vida.
Só é doença se a criança perder peso, chorar muito, tiver problemas para respirar (chiado
no peito, infecção de ouvido, laringite ...) Se isso estiver acontecendo, somente um pediatra pode
confirmar se é doença mesmo e como tratá-la.

Algumas vezes há a recomendação de inclinar o berço. Em geral não é necessário. Se for para fazê-lo, basta uma pequena inclinação. Para você ter uma idéia, qualquer calçada escorre água com 5% de inclinação!

 

15. Gostaria de saber se posso colocar minha bebê para dormir de barriga para cima mesmo depois da amamentação? É preciso esperar que o bebê arrote?

Sim, o bebê deve ser colocado para dormir sempre de barriga para cima mas é interessante esperar que o nenê arrote antes de deitá-lo.

O arroto acontece quando o bebê solta o excesso de ar do estômago. Normalmente, o estômago deve ter um pouco de ar: isso ajuda que ele fique na posição correta e diminui os refluxos e regurgitações. Aliás, através de radiografias, pode-se observar ar no estômago logo ao nascimento.

É mais comum acontecer do bebê ficar com excesso de ar no estômago quando ele mama muito rápido e quando se usa mamadeira. O peito da mãe é muito mais conveniente que a mamadeira e a perfeita adaptação à boca do
bebê permite que o bebê mame melhor e engula menos ar.

Assim, quando o bebê pega o peito de forma correta é possível que não arrote. A noite, quando o bebê está relaxado, o arroto também é bem menos comum.
Enfim, a falta de arroto não deve ser motivo de preocupação para os pais. Colocar a criança para arrotar é uma medida de conforto para os bebês pois o excesso de ar no estômago os incomoda.

O excesso de preocupação das mães com o arroto deve-se ao medo que a criança morra quando aspira vômito. Acontece que, com o avanço da medicina, foi-se percebendo que muitas das crianças que morriam com vômito na boca, não tinham vômito nas vias aéreas: depois de morrerem, com o relaxamento dos músculos, é que houve o refluxo.
Estudou-se essas crianças e verificou-se que o cérebro de muitas dessas tinha liberado substâncias que ativam a formação de vasos sanguíneos motivado por falta de oxigênio no cérebro nas últimas semanas (embora outras crianças morressem já no primeiro episódio de falta de respiração). Enfim: percebeu-se que a causa era vinculada a falta de respiração e não agudamente, obstruída por vômitos.

A partir das campanhas dos Estados Unidos (desde 1991/92), avaliou-se que a mortalidade diminuiu muito por morte súbita e não houve aumento nos raros casos de obstrução das vias aéreas.

Quando a possibilidade do bebê engasgar com o vômito, isto acontece menos de barriga para cima, pois ele consegue mexer o pescoço (de lado, ele não tem como se mexer e, se vomitar muito, respirará na poça de vômito).

Enfim: a morte súbita é muitíssimo mais frequente que a morte por aspiração de vômitos pois até uma criança recém nascida tem o reflexo da tosse. As mães ouvem uma criança vomitar ou, ao menos, tossindo para
evitar a aspiração do vômito. Que mãe conseguiria ouvir um bebê que pára de respirar?