acompanhamento nutricionalO que é?

Desde sua fundação, a Pastoral da Criança já prepara seus líderes para atuar na prevenção da desnutrição e da obesidade infantil. Atualmente, com a ação do Acompanhamento Nutricional, é possível, de maneira mais precisa, determinar o diagnóstico nutricional das crianças, através do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) – que relaciona peso, altura e idade. A partir deste diagnóstico, os voluntários podem intensificar as orientações aos pais ou responsáveis quanto à alimentação saudável, estímulo à prática de atividade física e encaminhamento para unidade básica de saúde, quando necessário.

Como é feito?

A equipe da Pastoral da Criança em cada paróquia que já participa desta ação é responsável por avaliar o estado nutricional das crianças.

Os voluntários são capacitados para:

  • pesar as crianças, usando balança aprovada pelo INMETRO, devidamente regulada, e retirando o máximo possível de roupa dos bebês e crianças de forma que o peso apontado pela balança seja o valor real;
  • medir a altura das crianças, usando um aparelho chamado estadiômetro, cuidando para medi-las deitadas até os dois anos de idade e em pé após os dois anos;
  • informatizar os dados. Para isto, a equipe conta com o voluntário da informática. O programa do computador faz os cálculos e mostra o estado nutricional da criança e a cartela de orientação que deve ser entregue para a mãe ou responsável pela criança.

Além de pesar e medir as crianças, os líderes fazem o preenchimento dos cartões de medidas e orientam as famílias das crianças que acompanham, utilizando cartelas de orientação nutricional.

acompanhamento nutricional2Cartão de medidas

Cada criança cadastrada no Acompanhamento Nutricional tem um cartão de medidas, no qual são anotados os dados de cadastro, peso e altura (comprimento) ao nascer, a data e as medidas realizadas. Esse cartão permanece na comunidade. 

Após serem anotados o peso e a altura, o líder da comunidade leva o cartão de medidas até o voluntário da informática para digitação dos dados. O computador indica o código da cartela com o estado nutricional da criança e as páginas do Guia do Líder que servem de referência para as orientações. Essas duas informações são anotadas no cartão de medidas pelo voluntário da informática.

Cartelas de orientação

Existem cartelas de orientação para cada situação com seus respectivos códigos:

  • P = criança no padrão
  • S = criança com sobrepeso
  • O = criança com obesidade
  • D = criança desnutrida

acompanhamento nutricional3

Na primeira participação do Acompanhamento Nutricional são entregues aos pais duas cartelas: a cartela GE, que traz orientações gerais sobre alimentação, e a cartela com o resultado do dia, que é a cartela de 1ª medida. A partir da segunda medição, é entregue aos pais somente a cartela correspondente à evolução da criança, ou seja, se ela emagreceu, engordou ou permaneceu estável.

O resultado do Acompanhamento Nutricional é entregue na hora para os pais ou responsáveis pela criança. Assim, eles voltam para casa sabendo quais orientações devem seguir para melhorar o estado nutricional do seu filho ou filha.

Com a cartela em mãos, o líder lê as informações com os pais de cada criança acompanhada por ele, e esclarece as dúvidas que tiverem. Cada líder dá esta orientação de forma individual e não para várias famílias ao mesmo tempo.

As cartelas com o sinal de exclamação representam situações que merecem mais tempo e atenção na hora de conversar e orientar os pais.

Quando uma criança está desnutrida e não aumenta ou perde peso, é um sinal de alerta. Nessas situações, é preciso verificar o que está acontecendo com a criança. Pode ser que ela esteja se alimentando menos, esteja doente, ou ainda possa estar recebendo pouca atenção e carinho.

O mesmo deve ser feito quando a criança está com sobrepeso ou obesidade e continua aumentando de peso. Os voluntários alertam a família, indicando que uma criança acima do peso não é sinal de saúde, pelo contrário, ela pode desenvolver algumas doenças como diabetes, pressão alta, dificuldades motoras e ter, até mesmo, problemas psicológicos. Em algumas situações essas crianças podem ser deixadas de lado na escola ou na rua na hora de brincar, e isso pode gerar sofrimento para elas.

Antes de entregar as cartelas sobre desnutrição grave e obesidade, os líderes procuram observar a criança em questão. Em caso de dúvida, conferem os dados no cartão de medidas ou refazem a medição para garantir um resultado correto. 

No verso das cartelas existem espaços onde são anotados a data, o peso e altura e as páginas do Guia do Líder para acompanhamento da evolução da criança.

acompanhamento nutricional4Depois da Celebração da Vida, o acompanhamento continua nas visitas domiciliares, todos os meses, em que o líder, com o Guia do Líder em mãos, vai conversar com a família e falar um pouco mais sobre a alimentação adequada para a idade da criança. Tudo isso para prevenir e garantir que a criança melhore sua saúde, principalmente a que se encontra em situação de risco nutricional: desnutrição ou obesidade.

Avanço na metodologia

A principal inovação que o método do Acompanhamento Nutricional, com o IMC, traz é a introdução da medida da altura, feita com a utilização de um instrumento chamado estadiômetro. A altura é um fator crucial para a determinação do estado nutricional, conforme o exemplo abaixo:

Duas crianças com a mesma idade (4 anos) e o mesmo peso (16Kg), quando avaliadas pelo gráfico do índice peso/idade (método indicado pelo Guia do Líder 2007) estarão dentro do peso esperado.

Porém, a primeira criança mede 100cm de altura e a segunda criança mede 93cm. Então, quando calculado o Índice de Masa Corporal (IMC), veremos no gráfico que a segunda criança está na faixa do sobrepeso.