Neste ano de 2012 a Pastoral da Criança adotou um "calendário de assuntos", em que cada mês um tema é tratado. São ações e campanhas que a Pastoral da Criança já trabalha e desenvolve. No mês de setembro, propomos a refexão em torno do saneamento básico e da água limpa e tratada, como direito de todos e dever do estado. A coluna "trocando ideias", do jornal da Pastoral da Criança do mês de setembro, também reflete sobre a água, o esgoto e o direito da criança ter lugar seguro e limpo para brincar.

 

 

 

Água limpa e esgoto tratado produzem ambientes saudáveis

A frase que este mês serve de sugestão para se conversar sobre o tema da Campanha da Fraternidade 2012 chama a atenção das condições do ambiente em que as pessoas vivem para a saúde. E no caso das crianças isso ainda é mais necessário: o ambiente da casa e da comunidade precisa ser muito bem cuidado e limpo, pois elas têm menos anticorpos que os adultos.

Até os seis meses, o bebê recebe pelo leite materno anticorpos e outros componentes que agem na defesa do organismo e assim fica protegido. Mas, a partir dos seis meses, o bebê tem necessidade de receber outros alimentos, se a terra em que eles são plantados, a água em que eles são lavados não forem limpas, ele pode ter diarreia, enfraquecer, perder peso.

Bebês e crianças também precisam de água limpa para tomar banho. O banho diário com água limpa e sabão e o uso de roupas limpas ajudam a prevenir várias doenças de pele. E a medida que vai crescendo, o bebê precisa estar no chão para se movimentar bastante e aprender a ir de um lugar ao outro por conta própria, precisa explorar o ambiente e aprender sobre as coisas que estão nele. E como o bebê leva tudo à boca, os cuidados com a higiene em casa são importantes.

Criança também precisa e muito estar ao ar livre para pegar sol, brincar com outras crianças. Numa comunidade com esgoto e lixo a céu aberto como as crianças podem brincar sem ficar doentes? E brincar é uma necessidade para o desenvolvimento da criança. Espaços limpos e seguros na comunidade oferecem oportunidades para as crianças se movimentarem de várias maneiras: correndo, pulando, subindo e descendo de obstáculos e árvores. Brincando bastante também ficam com mais apetite e cansadas para repousar bem e recuperar energias.

A falta desses espaços pode fazer com que as crianças fiquem com sobrepeso e até obesas quando também sua alimentação não está saudável. A falta de oportunidades das brincadeiras entre várias crianças também limita a convivência entre elas, o que prejudica a socialização, o aprendizado de respeito ao próximo, de cooperação, de competição, de aprender a perder e ganhar.

Sendo assim, líderes e brinquedistas podem aproveitar este mês para usar o jornal e outras informações que estão no Guia do Líder para conversar com as famílias sobre a importância da limpeza em suas casas, água limpa e esgoto tratado na comunidade e mostrar como tudo isso tem importância na construção de um ambiente favorável para o desenvolvimento das crianças.

 

Márcia Mamede

Assistente Técnica da Pastoral da Criança

cartazDocumentário discute a importância dos primeiros anos de vida

Reconhecer as potencialidades e necessidades das crianças em seus primeiros anos de desenvolvimento. Discutir essas questões é a proposta do documentário "O Começo da Vida", que será lançado nessa quinta-feira, 5 de maio, com exibição gratuita até o dia 8 de maio, em todos os cinemas onde o longa será exibido. Dirigida por Estella Renner – também responsável por títulos como “Criança, a Alma do Negócio” e “Muito Além do Peso” - o filme é produzido pela Maria Farinha Filmes, e apresentado pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, Bernard Van Leer Foundation, Instituto Alana, e pelo UNICEF.

Leia Mais